Leialti minimalista.

domingo, 27 de janeiro de 2008

Entretenimento lubrificado.

De acordo com a situação, criam-se as formas mais inusitadas de entretenimento. Os bancos do ônibus não eram exatamente propícios, mas o casal no corredor ao lado conseguiu se acomodar muito bem; ou assim me pareceu: o homem de bruços sobre a mulher e esta de bruços sobre os dois bancos, ambos envolvidos em um jogo em que o objetivo era mudar a posição dos interruptores no teto e impedir o outro de fazer isso. O fato é que não tenho uma namorada. Não tinha uma namorada, uma esposa, uma amante e nem mesmo uma peguete, na ocasião. Para a minha sorte ou azar, tive uma visão muito bizarra: no fundo amarelo, as letras verdes diziam "Comércio lubrificantes". Não era uma loja, era um ônibus, um ônibus na parada de ônibus, parado perto do meu ônibus parado na parada de ônibus. Depois de muito pensar a respeito dos motivos que levariam uma linha de ônibus a ter tal nome, que envolviam contorcionistas e rodomoças/moços vestidos de látex, servindo bandejas com vibradores e lubrificantes, analgrupalcomnavalhaechicotinho, decidi dormir. Sorte que eu estava na viação Sandra, eu não dormiria na viação Comércio Lubrificantes, sem chance!


O TRAUMA

Um comentário:

Aníbal disse...

acho que NINGUÉM iria dormir na Comércio Lubrificantes.

Fica a dica.

Sitemeter