Leialti minimalista.

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Kenji

Kenji saiu do Japão em 1905, ele tinha 15 anos quando deixou o seu país para imigrar para os Estados Unidos da América, onde trabalhou até conseguir respeito e uma loja. 40 anos depois, Kenji estaria pilotando um avião, derrubando bombas em cima de pessoas. Kenji não era um soldado. Kenji era apenas um homem. E as vítimas de suas bombas também não eram soldados, nem sequer eram americanos, eram homens japoneses. Homens que dormiam pela noite e acordavam pelo dia, como Kenji acordou um dia e se deparou com a notícia "Pearl Harbor bombardeada, os japas estão vindo", na primeira página, acompanhada de fotos de soldados estadunidenses morrendo. Seu mundo desabou, ele era apenas um homem com família e uma loja em Los Angeles, mas agora seria chamado de imigrante e seria levado junto com os outros japoneses para uma colônia. O governo deu a ele e aos outros japoneses apenas alguns dias para arrumar todas as suas coisas em duas malas, se não as tivessem, teriam direito a dois sacos de lixo para colocar toda a sua vida e se mudar junto com todos os outros japoneses malévolos para Manzanar. Kenji não mentiu para seus filhos, disse a eles que os EUA estavam procurando por espiões e que eles iam se mudar para Manzanar, junto dos outros japoneses. Em Manzanar, Kenji não mentiu tampouco, alertou a seus filhos que não encarassem os soldados e que não corressem, se os soldados achassem que eles estavam fugindo, poderiam ser baleados. Kenji não odiava os soldados, sabia que estavam apenas cumprindo seu trabalho. Entretanto, não deixava de ser desconfortável passar seus dias sendo vigiado por homens armados. Seus filhos, nascidos nos Estados Unidos, prisioneiros de guerra em seu próprio país. Kenji tinha esperança de sair de lá um dia, vivo, então não podia causar problemas. Surgiu uma oportunidade, aqueles que se juntassem ao exército estariam livres. Alguns homens se alistaram. Eles supostamente deixaram Manzanar em um vôo carregando duas bombas que acabaram com a guerra bem rápido. Duas cidades foram deixadas em pedaços. Kenji foi liberto, tinha esperanças de uma vida normal. Mulher, filhos e a sua loja. Quando voltou para casa, Kenji tinha as mãos pesadas, quando saíra carregava apenas a sua própria vida e a de sua família, agora carregava a vida de todos os homens que morreram pela sua liberdade. Que ele matara. Quando chegou em casa, o que Kenji viu o fez soltar aquelas duas malas, tendo o impacto de duas bombas atômicas em sua vida. As janelas estavam quebradas, toda a casa revirada e destruída, na parede, escrito em letras grosseiras de spray a seguinte frase: japas não são bem vindos.

--- // ---

Hoho, esse texto foi inspirado, para não dizer copiado, de uma música de hip hop, só pro espanto global.

2 comentários:

Raul Corrêa disse...

Dramático.

c_thai disse...

nunca achei que isso fosse acontecer, mas não gostei.

Sitemeter